A mim, dispo.

 

Chega de meias palavras nas entrelinhas das meias intenções. Saltam verbos da minha boca. Ser. Ter. Parecer. Construir. Realizar. O que sou e o que preciso ser de ação. Porque é tão difícil? Fico cá sofrendo com o que poderia ter sido e não foi. E sou expectadora da minha vida passando pelos meus olhos como uma imagem acelerada. E não tem pipoca. Nem guaraná. Não sou o que pareço e tenho mais do que mereço. Vivo construindo castelos que acabam não passando de rabiscos num pedaço de papel. Cada coisa a ser realizada leva mais tempo do que seria necessário pra qualquer pessoa “normal”. E eu sou normal? Sim. Não mais do que aquelas que Caetano diz para serem olhadas de perto, eu sei. E, “de perto, ninguém é normal”. Você se pergunta: o que ela quer dizer? Eu digo... amigo, é hora da contabilidade do ano. De fazer o balancete. [embora eu seja uma completa ignorante nestas questões; na verdadeira acepção da palavra e no paralelo que (mal) traço] E a sensação que o fim do ano traz não é boa. Nunca foi. Desde a infância, quando eu sempre ficava de recuperação. E sempre tinha briga em casa. E sempre tinham os sermões do meu pai. E sempre tinha chumbo grosso apontado para a pobre da minha mãe. Sabe o que vejo quando olho para mim criança? Tristeza. Não é muito diferente de olhar pra mim agora. A diferença é que hoje finjo melhor. Essa é a vantagem de ser grande. A vantagem de ouvir Cartola e poder compreender perfeitamente... “quem me vê sorrindo pensa que estou alegre. O meu sorriso é por consolação porque sei conter, para ninguém, o pranto do meu coração”. E sabe do que mais? Nunca estive tão nua.

 

Down em mim

[Cazuza]

Eu não sei o que o meu corpo abriga
Nestas noites quentes de verão
E nem me importa que mil raios partam
Qualquer sentido vago de razão
Eu ando tão down
Eu ando tão down

Outra vez vou te cantar, vou te gritar
Te rebocar do bar
E as paredes do meu quarto vão assistir comigo
À versão nova de uma velha história
E quando o sol vier socar minha cara
Com certeza você já foi embora
Eu ando tão down
Eu ando tão down

Outra vez vou me esquecer
Pois nestas horas pega mal sofrer
Da privada eu vou dar com a minha cara
De panaca pintada no espelho
E me lembrar, sorrindo, que o banheiro
É a igreja de todos os bêbados
Eu ando tão down
Eu ando tão down
Eu ando tão down
Down... down



- Postado por: Sanka às 10h43
[ ] [] [ envie esta mensagem ]

______________________________________________





..Sanka..

SomdeCordeMim

Som de cor de mim
Veja em mim o som da cor
Me dê cor, se ouvir um som
Ouça o som, se vir a cor
E se quiser,
Me veja mais
Mais que jamboaçaígoiaba clara,
Veja mel no negroazulescuro dos meus olhos
Toque o liláslaranjaardente do meu peito
E dance um bluseadoreggaedance compassado
Depois, [se estiver demais cansado]
Mergulhe fundo no céu azul de amaralina
Que tirintila no almofadar do meu pensamento...

..Sanka..





ela é essencialmente assim. tem variáveis. muitas. mas é gargalhada que quer pra vida toda. e vermelho. muito vermelho.


é dele, o coração dela.
Naka.



tantas histórias:

- 11/03/2007 a 17/03/2007
- 21/01/2007 a 27/01/2007
- 14/01/2007 a 20/01/2007
- 07/01/2007 a 13/01/2007
- 31/12/2006 a 06/01/2007
- 24/12/2006 a 30/12/2006
- 03/12/2006 a 09/12/2006
- 26/11/2006 a 02/12/2006
- 19/11/2006 a 25/11/2006
- 12/11/2006 a 18/11/2006
- 05/11/2006 a 11/11/2006
- 29/10/2006 a 04/11/2006
- 22/10/2006 a 28/10/2006
- 08/10/2006 a 14/10/2006
- 01/10/2006 a 07/10/2006
- 24/09/2006 a 30/09/2006
- 17/09/2006 a 23/09/2006
- 03/09/2006 a 09/09/2006
- 20/08/2006 a 26/08/2006
- 13/08/2006 a 19/08/2006
- 06/08/2006 a 12/08/2006
- 30/07/2006 a 05/08/2006
- 23/07/2006 a 29/07/2006
- 16/07/2006 a 22/07/2006
- 02/07/2006 a 08/07/2006
- 25/06/2006 a 01/07/2006
- 18/06/2006 a 24/06/2006
- 11/06/2006 a 17/06/2006
- 04/06/2006 a 10/06/2006
- 28/05/2006 a 03/06/2006



outras cores, sons queridos:

- adelia theresa campos
- anucha
- brinquedoteca [liannara]
- borboleteando [lícia]
- artes com trastes e traquinagens [sayô]
- balada do amor inabalavel [bia]
- cantos gerais [luizinho]
- brincando com clarinha [márcia]
- conversa de terapeuta
- conversa de mulheres [cherry]
- diário de mim mesma
- epiderme da alma [lela]
- entretantas-eu [jana]
- donaella
- heart's place [drika]
- indianira
- identida de perdida [clarice]
- loba
- lu
- mari
- o dono do bar
- oda mae [rosa]
- rainha de copas
- qual é a dúvida [pinho]
- ventania desvairada [rê]
- vera
- uma quimica insandecida [grazi]
- semeando palavras [kathy]
- blonicas


Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog



Contador:

Layout por